sexta-feira, 1 de maio de 2009

A Música na Grécia Antiga

Bom pessoal, fuçando em alguns livros e xerox que tenho aqui sobre história da música, vim fazer um breve comentário sobre  música na Grécia Antiga, espero que sirva pra algo.


A Grécia era o berço da cultura e da civilização ocidental, embora, os gregos tenham sido muito influenciados pelos egípcios e por todo o Oriente.

A palavra música vem do grego e significa "arte das musas", que, na mitologia grega representavam seres celestiais, divindades que inspiravam as artes e as ciências. Segundo a mitologia grega, os seres celestiais eram nove, são eles:

  1. CALÍOPE - da poesia épica.
  2. CLIO - da história.
  3. ERATO - da poesia amorosa.
  4. EUTERPE - da poesia lírica e da música, chamada a "que dá prazer" e representada com a flauta dupla - diaulo.
  5. MELPÔMENE - da tragédia.
  6. POLÍNIA - dos hinos sacros.
  7. TÁLIA - da comédia.
  8. TERPSICHÔRE ou TERPSICHORE - da dança e do canto coral, chamada "a bailarina" e representada com a lira e o plectro.
  9. URÂNIA - da astronomia.

Existem três lendas sobre a origem da lira. A primeira lenda diz que num determinado dia, o nobre e belo deus Apolo passeava pela praia, quando deu com o pé no casco de uma tartaruga que estava com as tripas secas e esticadas. Apolo percebeu, então, que fazendo vibrar as tripas, produzia-se som, originando assim a lira grega. A segunda lenda nos diz que Apolo atou algumas cordas de tripa aos chifres de um boi e, desta forma, ter-se-ia originado a lira. Efetivamente havia liras em forma de chifres de boi. A terceira lenda nos conta que, Apolo, saiu um dia para caçar junto de sua irmã Diana e, notou que toda vez que sua irmã atirava com seu arco, a flecha ao ser solta, produzia sons. Por isso, Apolo teria pensado em fazer instrumentos de cordas.

Orfeu, filho de Apolo, era deus da música e da poesia e, segundo a lenda, quando tocava sua lira, encantava até os animais. Do nome Orfeu deriva-se a palavra "orfeão".

O filósofo Pitágoras (século VI -V a.C.) descobriu a relação matemática dos principais intervalos da escala musical: a oitava, expressão pela relação 2:1, a quinta, expressão pela relação 3:2, a quarta, expressão pela relação 4:3, bem como a do tom maior, expressão pela relação 9:8, que exprimiria a diferença entre a quinta e a quarta.

Aristóxeno (nascido entre 375 a 360 a.C. em Tarento), outro filósofo, discípulo de Aristóteles, é considerado o maior teórico da antiguidade helênica; escreveu tratados sobre elementos da harmonia e do ritmo.

Assim, percebemos que as referências sobre a arte musical grega são encontradas na mitologia, em relíquias, tratados teóricos, obras filosóficas e memórias históricas.

Constata-se que a música estava presente na Grécia em todas as manifestações da vida pública, tais como festas religiosas ou profanas, jogos esportivos, teatros, funerais, e até em guerras.


REFERÊNCIAS:

Ellmerich, Luis - História da música.

Lovelock, William - História concisa da música


O Lovelock a professora tem, mas quem quiser emprestado, também esta as ordens


ABRAÇO A TODOS.


3 comentários:

  1. Muito obrigado, Hélcio, pelo seu post! Eu nao sei quanto a vocês, mas eu adoro todas essas lendas da mitologia grega, assim como os clássicos da Ilíada e da Odisséia de Homero, e algumas daquelas tragédias famosas de Eurípedes e seus camaradas... Fico lamentando que só tenha o tempo de uma vida para tudo o que gostaria de ler, ouvir e conhecer dessas coisas todas! Pelo menos, com a internet, poderemos ver mais "fragmentos" de muitas coisas interessantes!

    ResponderExcluir
  2. Professora, também gosto muito de mitologia, desde criança gosto dessas histórias de Deuses da Grécia, acho até que vou fazer História depois desse curso huauauauh.

    ResponderExcluir
  3. Valeu pelas informações. Os livros didáticos que utilizamos em sala de aula são bastante "econômicos" com relação à música gregas na antiguidade ou nem fazem referência alguma na maioria das vezes. Um abração e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir